Ninguém passa pelas nossas vidas à toa. Algum objetivo maior o universo tem com essa bifurcação de caminhos. Não acredito em acaso. Acredito em troca, parceria, cumplicidade, merecimento. Sentimentos que criam vínculos e fundamentam histórias. Muitas vezes a lição é contínua e perdura por anos.  A verdade inconveniente é que todo mundo tem um alguém particularmente especial que vai levar para sempre dentro do coração. Seja pela história, parceria, entrega e outros tantos motivos vivenciados ao longo do tempo; ou até mesmo pela vírgula deixada no fim de um parágrafo que deveria ser um ponto final. E este sentimento tão bonito ás vezes se encontra escondido debaixo de um monte de sentimentos mal resolvidos, mal definidos e mal interpretados. E é onde tanta coisa se perde, pura e simplesmente por não sabermos enxergar. Amor mesmo, no verdadeiro sentido da palavra, permanece enraizado, é tudo que fica desse alguém especial que Deus nos enviou por um período de tempo, para nos mostrar seu objetivo. 
Amor é o que eu sinto por você...
Alguém que simplesmente ficará. Ficará na alma, na calma, na paz e no desassossego. Alguém que se fará presente mesmo em sua mais absoluta ausência. 
É você e vai ser sempre você. Eu já disse isso em outro desses textos meus e não consigo deixar de pensar em como essa frase martela na minha cabeça. Já falei sobre independência e sobre como eu não preciso de você pra nada. Já falei sobre deixar você ir embora e sofrer uma, duas, trinta vezes e mais um pouco toda vez que nos encontrássemos. É você e vai ser sempre você. Mesmo que seja teimosia minha e eu te reinvente a cada dois minutos dizendo pra mim mesmo que você não é nada que eu sempre quis e conte pros outros uma versão diferente de nós dois.Eu te defendo sempre que minhas amigas me dizem que é loucura. Que você me faz mal. Que você me descompleta. Como é que eu vou deixar que falem mal de você na minha frente mesmo que eu esteja te odiando com todas as forças que eu nunca sonhei em ter? Só eu posso reclamar da nossa descontinuação. Só eu posso reclamar dessas invenções de vocabulário que a gente sempre faz tentando expressar isso tudo com palavras que não existem. E por onde você anda? Ouvi dizer que se sentiu perdido, mas também achou melhor não me ter mais por perto. Ouvi dizer que conheceu uma bebida de sabor doce e gostou (apesar de sempre ter odiado sabores doces e amores mais doces ainda). Ouvi dizer que é perda de tempo ficar esse tempo todo pensando sobre como a gente consegue gostar um do outro e cismar em se perder por aí mesmo não tendo problema algum.
Mas não importa o que aconteça, e quantas pessoas passem. A gente se esbarra, eu sei. A gente sempre se encontra de novo. Seja aqui ou em marte, no céu ou no inferno. Depende da tua religião ou da tua forma de me querer de volta. Um dia eu te provoco mais um pouco e te estrago só mais um pouquinho de um jeito que só eu sei fazer. Um dia a gente se põe lado a lado pra reclamar da vida e acender um cigarro barato pelas ruas dessa cidade. Quem sabe eu até fume com você. Um dia eu esqueço meu guarda-chuva e você me dá cobertura, abrigo e um pouco de amor. Um dia desses, quem sabe, a gente não precise se despedir e possa ficar pra sempre nesses nossos joguinhos que só interessam a nós. Vão nos chamar de loucos e desvairados. Mas não importa, ninguém nunca entendeu o que sentimos, nossa intensidade, nosso infinito. Porque do modo certo ou errado, a gente se completa.  É você e vai ser sempre você. E talvez isso não seja tão ruim assim.

Texto do Blog Entre todas as Coisas., adaptado por Tânia Vaz

=)

“Eu só quero que aonde quer que esteja que esteja feliz, e eu espero que em uma noite como essa você ainda pense em mim, e eu quero que você saiba que não importa o que aconteça, não importa onde você esteja no mundo, não importa quantos anos se passem, não importa se você diga de volta ou não, eu sei que é verdade como sempre foi, como sempre será, nos veremos em breve.”

(Nicholas Sparks)

***



Vou te contar o que acho tão interessante em você...

Primeiro, naturalmente, porque você tem esses olhos lindos que não param de brilhar...
Depois, porque você tem essa boca tão macia que é só sua, É uma boca que começa fininha em cima e que vai crescendo em baixo, numa combinação que me deixa maluca toda vez que a encosta em qualquer milímetro do meu corpo.
Tem também a forma como você me enxerga – inédita e só sua. Uma forma engraçada porque muitas vezes mostra coisas que nem eu tinha visto. Uma forma que motiva, inspira, conforta e incomoda muitas vezes também – porque pega no íntimo, em coisas que são difíceis de cutucar, mas que você faz com ousadia. Você me enxerga mais e melhor do que qualquer outro.
Tem também o jeito que acende o cigarro e fala e mexe as mãos sem parar, principalmente quando está empolgado com mais uma das ideias brilhantes que surgem na sua cabeça, esse jeito inquieto, andando pra lá e pra cá, ás vezes tão distraído, acho o máximo!
Ah!! e tem, o jeito como você sorri, que faz com que seus olhos fiquem mais apertados e pequenos do que já são. Algumas vezes  tímido, outras incrivelmente descontraído.
E também tem o jeito que dorme comigo. Tem o jeito que me abraça de conchinha ao mesmo tempo que encaixa todo o resto do corpo no meu, como um quebra-cabeça. E nessa hora, aproveito o silêncio pra sentir e escutar você pegando no sono e respirando na minha nuca.
E acima de tudo, amo seu jeito de enxergar a vida, e superar os desafios, fazendo a gente acreditar que tudo pode ser melhor, que tudo tem seu lado bom, dependendo do ângulo que se vê.
E assim, eu vejo você!

Talvez seja tudo isso que me impede de enfim, deixar pra trás aquilo nunca vai ser!

...

Sim! por algum motivo estávamos destinados a nos encontrar. Mas agora, sozinha em minha casa, comecei a perceber que o destino pode magoar uma pessoa tanto quanto a pode abençoar... Descobri que Importar-se com outra pessoa abre a possibilidade para se magoar com as falhas ou ausências desta pessoa. Enfim! Entendi a duras penas que para nunca sofrer é preciso nunca amar.
"Erótica é a alma". Enganam-se aqueles que pensam que erótico é o corpo. O corpo só é erótico pelos mundos que andam nele. A erótica não caminha segundo as direções da carne. Ela vive nos interstícios das palavras. Não existe amor que resista a um corpo vazio de fantasias. Um corpo vazio de fantasias é um instrumento mudo, do qual não sai melodia alguma. Por isso, Nietzsche disse que só existe uma pergunta a ser feita quando se pretende casar: "continuarei a ter prazer em conversar com esta pessoa daqui a 30 anos?"


Rubem Alves



***

"Continuaram a acariciar-se com desejo e atormentando-se com as súplicas e as recordações.Saborearam a amargura de uma despedida que pressentiam, mas que ainda podiam confundir com um futuro reencontro"!


=)

Não sabia que era precisamente esse fracasso que me levaria ao lugar que desejava. As correntes do rio profundo foram mais generosas que o meu remar contra elas. Não cheguei aonde planejava ir. Cheguei, sem querer, aonde meu coração queria chegar, sem que eu o soubesse.






 Rubem Alves.

=)


***


... Quando ele sorri desarmado, limitado e impotente, para todas as minhas dúvidas, inconstâncias e chatices, eu sei que é daquele sorriso que minha alma precisava. Ele não faz muito pela minha angústia existencial, até por não saber. E consegue tudo de mim. Consegue até o que ninguém nunca conseguiu: me deixar leve. (…) Eu quero parar com tudo isso, ele é um menino inconsequente e sem juízo, que não pode acompanhar minha louca linha de raciocínio meio poeta, meio neurótica, meio madura. Eu quero colocar um fim neste tormento de desejar tanto quem ainda tem tanto para desejar por aí. Mas de repente me pergunto: pra quê? Se quando estamos juntos é tudo tão bom, se é tão simples. Ele me ensinou que a vida pode ser simples e cheia de aventuras, e que pode ser tão boa."

=)

“E quando ele me abraçou foi como se alguma parte do meu coração se preenchesse.Naquele momento, eu me senti inteira. Eu precisava de um abraço, um abraço apertado, um abraço que me livrasse das angústias que eu estava passando. E o abraço dele foi exatamente isso.”

***

"Merda, aqui estou em novamente pensando em quão bom seria ter-lhe por perto. Ter você em meus braços. Sem escapatória. Sem fim. Apenas um bom começo."
Vejo tantas pessoas mendigando amor, se humilhando por tão pouco... Talvez também tenha feito isso em algum momento...
Vejo gente bonita se achando feia, gente inteligente se achando burra, gente boa se achando ruim... Pessoas maravilhosas que não acreditam na sua capacidade de ser feliz sem ter alguém do lado! Que medo é esse de se amar em primeiro lugar antes de amar qualquer outro? Que receio é esse de encontrar o caminho da felicidade pelos próprios pés? Está na hora de se olhar no espelho e ver muito mais do que um simples reflexo... Está na hora de reconhecer a única pessoa que realmente pode te fazer feliz! Se você não se amar e acreditar em si mesmo com todas as forças, quem irá fazê-lo por você?
Aprenda que Deus só nos mandou amar o próximo como a nós mesmos, porque sabia da importância do amor-próprio em nossas vidas.
"Ando meio sem pressa. Sem destino aonde chegar. O vento me leva, às vezes. Caminhos estranhos e com algumas recaídas. Tenho andado por montanhas e precipícios. Sem muita fobia por beijos e abraços. Permaneço só, e para mim, é até preferível. Mas nada é pior do que ter alguém, e mesmo assim se sentir vazio. Talvez o céu me diga. Os pássaros me ouvem, bem distante. Sou um alguém, a procura de quem realmente sou. Levo comigo poucas coisas, mas dentro de mim, muitos mistérios. Sou um precipício para alguns. Mas para quem sempre busca mais, posso ser uma montanha de felicidades."

(Victor Hugo Felipe)

=)

Me vesti de alegria. De sonho. E de esperança.
Fiz-me bonita.
Sorriso no rosto.
Um brilho nos olhos.
Sentimento de renovação batendo no peito.
E promessas movendo a alma.
Tudo para esperar o novo que há de vir...

***

“Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens, além daquele que há em sua própria alma. Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave. Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo.”
"Afinal, há é que ter paciência, 
dar tempo ao tempo...
Já devíamos ter aprendido,
e de uma vez para sempre, 
que o destino tem de fazer muitos rodeios 
para chegar a qualquer parte."

(José Saramago)




As pessoas tem o direito de não gostar do meu jeito, mas às vezes gostam tanto que levam um pouco dele com elas. O meu amor eu guardo para os mais especiais. Não sigo todas as regras e às vezes ajo por impulso... Erro, admito, aprendo, ensino... perdoo e peço perdão.
Todos erram um dia: por descuido, inocência ou maldade. Mas não admito que me julguem, odeio julgar e ser julgada. Não sou qualquer uma, tenho meus limites, respeito meus sentimentos e acima de tudo, os sentimentos alheios, e gostaria que me respeitassem também.Tenho princípios que me fazem andar sempre de cabeça erguida. Mas pra você que não me conhece de verdade... não diga o que não sabe... Não é da conta de ninguém, o que se passa aqui dentro!
"O que eu sou não lhe diz respeito, em parte nenhuma lhe toca. Nasci para poucos e morro por quase ninguém. Contradigo-me em passos de dança invisíveis, enlaçando pernas e prendendo bocas, querendo muito e gostando tão pouco. Não é insatisfação ou sofrimento, é só um tudo ao mesmo tempo agora que não respeita amor de menos, não aceita um gostar pouquinho e querer às vezes. Uma intensidade que não se conforma com noites únicas de começo, meio e fim. Se estou aqui é pela música, pela companhia, pra me perder. Jamais pra desperdiçar uma noite com quem não sabe conversar.
Não me pergunte o que eu faço da vida, isso é banal, é triste, é comum. Queira saber o que me faz feliz, meu ponto fraco pras cócegas. Não pergunte o que me dá dinheiro, porque este é o menor dos meus sucessos. Esqueça meu nome verdadeiro, se eu venho sempre aqui, se estou gostando da música. Agir sem naturalidade é o seu maior fracasso
.

Se é mesmo importante que eu responda as perguntas que tanto desprezo, se definir o que sou vai te fazer mais feliz, se quer mesmo saber de mim, comece pelas entrelinhas. Pelo não dito. Pelo movimento dos cílios e as pupilas dilatadas, os olhos nervosos que não se fixam, o modo de apoiar o peso do corpo em uma das pernas e me preocupar com o cabelo. Olhe para as mãos que não sabem repousar e a voz que desafina. Por favor, sou tão ridiculamente fácil de decifrar e ainda insistem em seguir pelo caminho errado. Exponho-me tanto e ainda querem uma cartilha.

E fazem isso porque amam de relance, querem no momento e só por desafio. Porque têm preguiça ou medo de cumplicidade e acreditam perder a noite se optarem por se apaixonar pelo próprio ego. Porque perdem oportunidades de se calarem quando é papel dos olhos falar.
É por isso que eu estou sozinha nesse mundo de luzes e pessoas. É por isso que eu saio de casa e minha roupa não precisa agradar ninguém além de mim. Porque não deixo o calor da minha rotina pra ser prenda em vitrine.

O que eu sou não lhe diz respeito, em parte nenhuma lhe toca. Mas se quiser mesmo saber de mim, experimente não me perguntar. E talvez assim desperte minha vontade de contar."




Não acredito em amor à primeira vista, acredito em amor ao primeiro toque. Não acredito em amores que prometem, acredito naqueles que fazem. Nos que fazem valer a pena, valer os suspiros e os risos distraídos sem explicação. Acredito no amor que não tem idade. Acredito no amor que não tem tabu, que não tem cor, nem valor que se possa calcular. Acredito no amor verdadeiro, aquele que não escolhe. Acredito, enfim, no amor. Não acredito é nas pessoas. Não acredito em muita coisa, mas tenho muita fé no pouco que acredito. E é só, e somente só, por isso que ainda acredito e quero e espero por algo bom. Algo que acalme e faça cafuné. Algo que me ligue no meio da noite com a voz rouca pra falar de nada e de tudo. Não acredito em muita coisa, mas ainda acredito em você, que ainda nem chegou. Mas se você vier, vem devagar, não faça barulho, a porta dos fundos eu deixei entreaberta. Não me traga rosas, me traga amor. Se você vier, vou logo avisando: a casa está bagunçada, andei arrastando alguns móveis e pintando algumas paredes. Quando você vier tire os chinelos e tranque as portas, me abra por dentro. Quando você chegar venha de braços abertos e sorriso largo. Se você vier, venha inteiro, não me venha em metades. Venha sem malas e sem pudor. 
Te espero chegar...
Eu deixarei que morra em mim
o desejo de amar os teus olhos que são doces 
Porque nada te poderei dar 
senão a mágoa de me veres eternamente exausto 
No entanto a tua presença 
é qualquer coisa como a luz e a vida 
E eu sinto que em meu gesto 
existe o teu gesto e em minha voz a tua voz 
Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado 
Quero só que surjas em mim 
como a fé nos desesperados 
Para que eu possa levar 
uma gota de orvalho 
nesta terra amaldiçoada 

Que ficou sobre a minha carne 
como nódoa do passado 
Eu deixarei... 
tu irás e encostarás a tua face em outra face 

Teus dedos enlaçarão outros dedos 
e tu desabrocharás para a madrugada. 
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, 
porque eu fui o grande íntimo da noite. 
Porque eu encostei minha face na face da noite 


e ouvi a tua fala amorosa. 
Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa 
suspensos no espaço. 
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado. 
Eu ficarei só 
como os veleiros nos pontos silenciosos. 
Mas eu te possuirei como ninguém 
porque poderei partir. 
E todas as lamentações do mar, 
do vento, do céu, das aves, das estrelas
Serão a tua voz presente, 
a tua voz ausente, 
a tua voz serenizada...


Vinicius de Moraes
Não costumo deixar as pessoas chegarem muito perto. E isso não é resultado de relacionamentos que não vingaram. É meu jeito. Desengonçado. Bicho do mato. Mas sempre fui assim, “inscrições fechadas”. Não sei porque. Em parte, confesso que sei. Acho que a gente tem o direito de poder sentir atração, tesão (ou chame como quiser) por quem tenta chegar perto. E se não sentir, tchau. Não existe nada mais ridículo do que se forçar a sentir atração por alguém. Do que ficar examinando a pessoa na tentativa de achar algo passível de admiração. Definitivamente, não dá. Desculpa, mas não dá mesmo! Esse papo de mulher seletiva tem base nisso. Homem topa qualquer parada, mulher, no geral, não. Como disse o Renato Russo muito sabiamente naquela música “Eu posso estar sozinho, mas eu sei muito bem aonde estou!”. Se o que chega perto me atrai, ótimo, vou tentar. Senão, não. Simples. Não sou do tipo que fica procurando qualidades: O essencial tem que saltar aos meus olhos! Semana retrasada fui pra balada com uns novos amigos... e meu! Que selva! Se você cruza o olhar com alguém por engano, por descuido, a pessoa já acha “ta me querendo, só pode!”. Oi?? Cadê o semancol, a educação, o tato? Não há. Essa pressa, essa agorafobia que rola na noite me deprime. É um tesão forçado, um medo de voltar pra casa só, um pânico da opinião dos amigos. E assim as pessoas vão passando por cima do que sentem, traindo seus valores e aumentando aquele vazio que ninguém preenche. Se as pessoas chegassem perto pelos motivos certos, seria tão bom. Mas é aquela aproximação tá-ficando-tarde-não-posso-ficar-no-zero-a-zero-de-jeito-nenhum. É isso? Então BYE. Comigo as coisas são diferentes... Me chamem de chata, de difícil, de careta... Funciona assim. Inscrições abertas para pessoas irresistíveis (aquelas que nos atraem como ímãs, que têm um tipo de poder divino sobre nós, naturalidade). Inscrições fechadas para pessoas que não me atraem. Sem ressentimentos, mas não sou obrigada. Aliás, ninguém é. Assim como aprendemos a entender e aceitar quando não nos querem, o resto do mundo deveria fazer o mesmo!

;)

Quando você for se embora,
moço branco como a neve,
me leve.

Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menino branco de neve,
me leve no coração.

Se no coração não possa
por acaso me levar,
moço de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.

E se aí também não possa
por tanta coisa que leve

já viva em seu pensamento,
menino branco de neve,
me leve no esquecimento.

Moço de sonho e de neve,
me leve no esquecimento,
Me leve... 




Mais um ano cheio de saudade, e um dia que eu não queria recordar, nem acordar...

A dor de perder alguém querido... não existe palavra capaz de expressá-la...

Descobrimos a relação profunda entre a vida e a morte quando alguém 
que era a razão, ou uma das razões, de nossa vida vai-se embora.
Para onde? Para quem? Está me ouvindo? 
A gente vai se ver novo? Como será o reencontro? 
Por que agora? Por que desse jeito?.
As perguntas insistem em aparecer e as respostas não aparecem claras. 
Dói, dói, dói e dói…

Então a gente tenta assimilar o que não se explica. 

Cada um do jeito que sabe. 
Há o que bebe, o que fuma, o que grita, o que abandona tudo, 
o que agride, o que chora silencioso num canto, e os que assim como eu não conseguem

se conformar com tamanha saudade dentro do peito... 
Mas aposto na fé... mesmo sem entender, um dia nos veremos de novo...

Sei  que quem ama de verdade não crê que se acabou. 

A vida é uma só: começa aqui no tempo e continua, depois, na ausência de tempo e de limite. 

Alguém a quem amamos se tornou eterno. 
E essa pessoa já sabe quem e como Deus é. 
E também sabe o porquê de sua partida. 
Por isso, convém falar com ela e mandar recados a Deus por meio dela.

Se ela está no céu, então alguém, além de Deus, dos anjos e dos santos, se importa conosco. 
Definitivamente, não estamos sozinhos, por mais que doa a solidão de havê-la perdido. 
Mas é apenas por pouco tempo. 
Quem amou aqui, sem dúvida, se reencontra no infinito…

Saudades eternas Pai!   




Você pode conhecer vinte caras bonitos, dez caras legais que cuidam de você como se fosse um diamante precioso, uns outros tantos inteligentes, atraentes, bacanas e engraçados em ordem aleatória. Nenhum deles te encanta. Por que? Falta o tão chamado click, aquele jeito especial que ninguém explica, aquele que você só encontrou em um único alguém.Pode ser o jeito de mexer no cabelo, a forma como ele te olha, que conversa contigo ou até mesmo um jeito secreto que nem o profeta mais sábio percebe, mas que está lá, você pode ver. Pode ser o jeito de sorrir, de brincar ou de falar.
Entre tantos milhares, talvez um ou outro se salve ao filtro do ‘jeito’, e daí você percebe: é esse que eu quero abraçar e não largar mais, com quem eu quero me enrolar embaixo de cobertores e com quem eu quero dividir todos meus segredos. Baseado no que? Num jeito inexplicável ao resto do mundo.”

=)



"Um abraço verdadeiro é realmente uma das melhores coisas da vida. Na verdade é mágico.Tem abraço de saudade, que é aquele em que os braços grudam na pessoa, tentando diminuir toda a falta que fez durante algum tempo. Tem abraço de gente apaixonada que esperou demais, é quase sufocante e muito intenso, como se o mundo precisasse parar desse jeito. E tem abraço de amor, eterno, que deixa o perfume gravado na alma até mesmo depois de terminar. Abraço é a dádiva de poder dizer com os braços o quão perto quer uma pessoa, o quanto tem medo de perder e o mais importante, o quanto esperou e faria a mesma coisa, milhões de vezes pra sentir a paz que só um alguém pode te passarÉ o jeito do ser humano dizer que se sente vivo por alguém."


...Mas você com esse jeito só seu...

(...) de não me permitir saber o que esperar de você, me faz te odiar tanto e querer tanto a sua atenção. Seu jeito doce e meigo, que só eu enxergo. E me faz querer tanto você daqui a pouco, porque você não enjoa. Você me cansa demais mas não enjoa."

=)



Não espere que eu seja contida. Minhas emoções extravasam minhas bordas, borbulham na superfície, transbordam de mim. Expresso o que me toca. Não me peça pra ser impassível. Sou feita de sentir. E meu sentir faz bagunça, sobe no palco, salta do peito. Quisera eu, ser feita de silêncios. Daqueles que restauram e espelham. Daqueles que traduzem. Mas não dá ... Tem muito barulho por aqui. Tem o riso solto, a alegria escancarada, a música alta. Tem a vontade de realizar e uma implicância danada com essa coisa de se bastar. Tenho uma fé infantil no futuro.
Não sei fingir sentimentos. Não sei ensaiar simpatia. Ainda não aprendi a ignorar o que me ofende, me acomodar com o que incomoda, usar o silêncio como suposta superioridade e pseudo-atestado de controle. Jamais conseguiria, vivo à flor da pele, obedeço o coração. Meu riso será indecente quando surgido, meu questionamento será inevitável quando provocado, meu choro, um convite: me conheça. 
Sou cativada por detalhes, uma encantada por pequenices. Me escreva qualquer frase que combine com o seu querer, apareça do nada e me presenteie com cheiros, com cores, com brincadeiras e com palavras. Não é difícil me fazer sorrir.
Não me queira cética. Acredito em milagres, em intuições, em abraços e em declarações de amor. Desacreditar seria desistir, seria entristecer. E eu recuso todo e qualquer convite da tristeza. Emoção o que me traduz. Acreditar é o que explica a minha vida.
Espere de mim ideias, perguntas e também respostas. Respostas gentis, atenciosas, debochadas ou tortas. Tem opção para todos os gostos e reciprocidade para todos os gestos. Mas não espere de mim amarguras. Não confunda a minha receita. Tenho doses de doçura e pimenta para muitas porções, mas nunca cultivei o rancor.  
Espere de mim o perdão, o pedido e o concedido. Sei reconhecer minhas falhas e acredito em qualquer um até mesmo depois que me prove o contrário. Sei dar segunda chance a quem merece, a quem faz valer a caminhada. E assumo todos os riscos. Prefiro assim do que me confortar com serás. Sou adepta do tentar e também do refazer. 
Conte comigo, te dou meu ombro e minha sinceridade. Chegue mais perto, pegue na minha mão. Divido meus sonhos contigo, te empresto meus discos e meus livros. Me dê conselhos, me dê espaço. Repouso no teu colo e te conto a minha história. Tenho essa mania errante de me espalhar por aí. 
Não tenho muita paciência, releve esse meu pesar. Não tenho vocação pra viver a conta-gotas. Me instigue mas não me provoque tanto. Me queira serena, quieta, satisfeita. Tenho febres elevadas, desejos insaciáveis, tenho coragens infinitas quando desafiada.
Tenho a mania de deixar o desaforo da porta pra fora. Sabe aquele texto da Martha Medeiros que diz: "Não grite comigo. Tenho o péssimo hábito de revidar"? Pois é. Se eu pudesse, estenderia a mão e diria a autora: bate aqui. Meu maior defeito talvez seja este. Minha defesa primeira. 
Conte com a minha bondade, abrace o meu afeto mas não subestime a minha mansidão. Não apronte comigo contando com a minha suavidade. Ainda não aprendi com a sabedoria daqueles que deixam pra lá, não compactuo com aqueles que se contém corroendo por dentro. Nessas horas extravio a educação bonita que mamãe me deu e sigo concordando que respeito é pra quem tem. Eu vivo é de quereres, insaciáveis e emergentes. Reciclo minhas coragens e não confiro a temperatura da água. Eu mergulho. Inteira. E descubro que na verdade, eu sei nadar. 

Teus olhos perdidos são um convite
Para entrar sem pensar no paraíso
Teu sorriso é o meio de transporte
Que me prende e faz perder o juízo

Tua voz embala todos os meus tons
Sintonizando-me em teus sentidos
Que afloram meus preciosos dons
Que por ti... Seguem rendidos
Pergunto-me: 
Porque não consigo evitar?
O corpo pede... a alma implora
Esse entrelaçar de braços e pernas...
Esse domínio... 

Em teus braços sinto-me protegida
Envolvida em olhares profundos
Aos teus toques sou acariciada
Nos sentimentos que foram despertados

Minha sede nos teus lábios se consome
Fortalecendo-me em beijos sedentos
Juntos, nós saciamos a nossa fome...
Quando o longe nos torna mais perto.
Dizem que quando se encontra a química perfeita, perde-se a razão
Acho que é verdade!




Estava escuro, e frio, como naqueles dias em que a menininha se via sozinha e com raiva. Uma raiva do mundo, por não ser exatamente como ela havia desenhado. Céu azul, com nuvens branquinhas. Mas o mundo não é da cor que ela escolheu, gizes de cera não decidem como as coisas realmente são. O mundo as vezes é tão difícil, e cruel, e tem um monte de coisas complicadas. E a menininha via isso outra vez.
Ela sabia que ninguém mais a entendia, ninguém mais podia querer o mundo do jeito que ela queria, mas  considerarem ela insana parecia agressivo demais. E ela se entristecia ao pensar que talvez, todos estivessem certos. Ela devia ser louca. Louca por insistir em coisas impossíveis, louca por acreditar nas outras pessoas, louca por ainda insistir em uma vida como a dos desenhos. 
Uma casinha, uma janela, uma árvore, ela sempre desenhava assim, nessa ordem. Mas tinha tantas outras coisas bonitas pra se desejar no mundo, e ela desenhava isso também.
Viver, de um jeito medíocre, nunca foi o sonho dela. Ela nunca pensou que o mundo pudesse dar essa opção a ela, justo à ela, uma menininha tão sonhadora. 
Mas contos de fadas não existem, e ninguém consegue uma casinha com uma janela usando giz de cera, ninguém. Nem essa menininha boba, que ficava brava quando se sentia sozinha.

***

"Chega uma hora na vida em que, de tanto querer, a gente não quer mais. Não quer mais a vida feito vulcão em ebulição, não quer mais viver em busca; quer a paz do caminho sem tantos abismos, quer menos curvas e mais atalhos. Não quer mais o que faz perder o sono, o que desconforta o pensamento. Não quer mais aventura nem risco, só a emoção do que pega leve, do que abre o sorriso lentamente, do que não parte às pressas, nem deixa marcas profundas e sangrentas. Chega uma hora na vida em que ou fazemos a opção por nós mesmos ou morremos extenuados sempre à procura do que nunca encontraremos."
Aíla Sampaio

"Abraçamo-nos nem sei durante quanto tempo, só sei que tudo parou ali mesmo, um beijo... outra vez, mais uma vez.. De repente estávamos de novo sozinhos; entregues um ao outro, o mundo era um outro lugar, como no dia em que nos conhecemos."

Margarida Rebelo.

Houve uma mudança de planos e eu me sinto incrivelmente leve e feliz. Descobri tantas coisas. Tantas, Tantas. Existe tanta coisa mais importante nessa vida que sofrer por amor. Que viver um amor. Tantos amigos. Tantos lugares. Tantas frases e livros e sentidos. Tantas pessoas novas. Indo. Vindo. Tenho só um mundo pela frente. E olhe pra ele. Olhe o mundo! É tão pequeno diante de tudo o que sinto. Não dá mais para ocupar o mesmo espaço. Meu tempo não se mede em relógios. E a vida lá fora, me chama.


C.F.A




“O que aconteceu comigo.

Você sabe, eu costumava ser diferente. Eu já fui mais calma, mais quieta, mais santa, mais esperta, mais fofa, mais crítica, mais fria, mais cínica. Não construí minha armadura do dia para a noite.
Demorou um tempo… Muito tempo para ser realista. Depois de tantas quedas, de tantos machucados, de tantos arranhões, de tanta hipocrisia, eu aprendi a me reerguer, cada vez mais forte, cada vez mais fria, cada vez mais dura. Orgulhava-me quando me reerguia e via as sutis diferenças. Eram diferenças minusculas, inexistentes para quem via de fora, mas para quem estava ali dentro, cada micro passo era imenso. Fui aprendendo que a vida não é um conto de fadas onde todos são amigos e querem seu bem, os malvados usam preto e demonstram abertamente que querem você destruída, e tem o príncipe encantado que vai chegar montado num cavalo branco e  te salvar quando as coisas estiverem complicadas. Não. Aprendi que a vida é um pouco mais complicada que isso. Na realidade, os amigos nem sempre são fáceis de identificar, os inimigos usam sorrisos-colgate e roupas caras, e O príncipe é aquele cara que curte rock e que vai chegar a pé ou em uma bicicleta.”


 Camila Alves.
"Até que um dia, por astúcia ou acaso, depois de quase todos os enganos, ela descobriu a porta do labirinto. Nada de ir tateando os muros como um cego. Nada de muros. Seus passos tinham – enfim! – a liberdade de traçar seus próprios labirintos."


Mário Quintana


"— É pecado sonhar?
— Não, Capitu. Nunca foi.
— Então por que essa divindade nos dá golpes tão fortes de realidade e parte nossos sonhos?
— Divindade não destrói sonhos, Capitu. Somos nós que ficamos esperando, ao invés de fazer acontecer."

(Dom Casmurro - Machado de Assis)
Outro dia estava lendo um documentário sobre um estudo onde, meio às cegas, os homens sempre acabavam escolhendo para namorar as mulheres com as vozes mais finas, boazinhas, com rostos mais angelicais, ingênuos, de estatura menor e outras características que demonstravam fragilidade. Resumindo: eles buscavam submissão. Homem tem medo de mulher independente! Pior ainda: Homem tem medo de mulher que Brilha! Aí que o cara conhece uma mulher linda e com estilo nada convencional de se vestir, bebe tanto quanto ele. Se ele não quiser sair, ela sai só com as amigas, topa qualquer saída. Não tem tempo ruim, banca suas coisas. Se tiver meio sem grana, se diverte como dá. Se tiver bem de dinheiro, pode até pagar pras amigas. Conversa com todo mundo, tem muitos amigos. É racional, determinada, autêntica, fala o que pensa, é engraçada, bem resolvida. Pode até entender de futebol, praticar alguma luta e até consertar um carro. E tudo isso, sem ser vulgar. Então diante de todas essas qualidades, parece bem divertido ficar com uma mulher assim...
E na verdade É !!! O PROBLEMA É QUE GRANDE PARTE DOS HOMENS NÃO SEGURA A ONDA DE UMA MULHER PAU-A-PAU COM ELES, aí eles namoram a Sandy, mulher do tipo Sandy é fácil de namorar. Ela sai, mas não dança até amanhecer, se o namorado não quiser, ela não sai. É do tipo "filhinha da mamãe",  Ela não bebe, não briga, não se impõe, não é divertida e muitas vezes nem boa de cama. É submissa, fica á sombra do cara, não tem brilho. Claro, elas são mais fáceis de controlar, dão poder para o homem. Que cara não gosta disso? 
Mas quer saber a minha opinião sobre a mulher independente: continue assim! Pode demorar um pouquinho para você encontrar o cara certo, mas quando encontrar, terá um relacionamento completo e verdadeiro. Mulher que brilha dispensa homem sem coragem! Mulher de verdade assusta! Uma grande mulher não precisa de homem para se destacar, mas para ser um grande homem com certeza precisa-se ter ao lado uma GRANDE MULHER…

Texto adaptado por Tânia Vaz